Como calcular o número mínimo de escadas e a largura de cada uma

Roberto Massaru Watanabe
Roberto Massaru Watanabe
Roberto é engenheiro civil formado pela USP e especialista em patologias das edificações.

A largura da escada deve ser proporcional ao número de pessoas que por ela transitam, além de depender do tipo de ocupação. Outros fatores que influenciam a largura são: a existência, ao longo da escada, de obstáculos, como pilares salientes, vasos pendurados na parede e extintores de incêndio. As questões de segurança são abordadas pela norma brasileira NBR-9077 Saídas de Emergência.

A largura da escada depende também da acessibilidade que as pessoas, inclusive pessoas com deficiência, possam necessitar para transitar com segurança. A acessibilidade vai também levar em conta outros acessórios, como corrimão, guias laterais para cegos, sinalização lateral e fitas antiescorregamento. Estes detalhes você encontra na norma brasileria NBR-9050 Acessibilidade a edifcações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.

Siga o passo a passo abaixo para calcular quantas escadas são necessárias em um edifício e a largura que cada uma deve ter.

1) Defina o grupo de ocupação

Primeiro, é preciso definir qual o grupo de ocupação do edifício. A norma NBR-9077 traz a seguinte classificação:

GRUPOOCUPAÇÃODIVISÃODESCRIÇÃOEXEMPLOS
AResidencialA-1Habirtações unifamiliaresCasas térreas ou assobradadas, isoladas ou não
A-2Habitações multifamiliaresEdifícios de apartametnos em geral
A-3Habitações coletivas (grupos sociais equivalentes à família)Pensionatos, internatos, mosteiros, conventos, residenciais geriátricos
BServiços de horpedagemB-1Hotéis e assemelhadosHotéis, motéis, pensões, hospedarias, albergues, casas de cômodos
B-2Hotéis residenciaisHotéis e assemelhados com cozinha própria nos apartamentos (incluem-se aprt-hotéis, hotéis residenciais)
CComercial varejistaC-1Comércio em geral, de pequeno porteArmarinhos, tabacarias, mercearias, fruteiras, butiques e outros
C-2Comércio de grande e médio portesEdifícios de lojas, lojas de depertametnos, magazines, galerias comerciais, supermercados em geral, mercados e outros
C-3Centros comerciaisCentros de compras em geral (shopping centers)
DServiços profissionais, pessoais e técnicosD-1Locais para prestação de serviços profissionais ou condução de negóciosEscritórios administrativos ou técnicos, consultórios, serviços profissionais ou instituições financeiras (não incluídas em D-2),
D-2Agências bancáriasAgências bancárias e assemelhados
D-3Serviços de reparação (exceto os classificados em G e I)Lavanderias, assistência técnica, reparação e manutenção de aparelhos eletrodomésticos, chaveiros, pintura de letreiros e outros
EEducacional e cultura físicaE-1Escolas em geralEscolas de primeiro, segundo e terceiro graus, cursos supletivos e pré-universitários e outros
E-2Escolas especiaisEscolas de artes e artesanatos, de línguas, de cultura geral, de cultura estrangeira
E-3Espaço para cultura físicaLocais de ensino e/ou práticas de artes marciais, ginástica (artística, dança, musculação e outros) esportes coletivos (tênis, futebol e outros não incluídos física em F-3), sauna, casas de fisioterapias e outros
E-4Centros de treinamento profissionalEscolas profissionais em geral
E-5Pré-escolasCreches, escolas maternais, jardins-de-infância
E-6Escolas para portadores de deficiênciasEscolas para excepcionais, deficientes visuais e auditivos e outros
FLocais de reunião de públicoF-1Locais onde há objetos de valor inestimávelMuseus, galerias de arte, arquivos, bibliotecas e assemelhados
F-2Templos e auditóriosIgrejas, sinagogas, templos e auditórios em geral
F-3Centros esportivosEstádios, ginásios e piscinas cobertas com arquibancadas, arenas em geral
F-4Estações e terminais de passageirosEstações rodoferroviárias, aeroportos, estações de transbordo e outros
F-5Locais para produção e apresentação de artes cênicasTeatros em geral, cinemas, óperas, auditórios de estúdios de rádio e televisão e outros
F-6Clubes sociaisBoates e clubes noturnos em geral, salões de baile, restaurantes dançantes, clubes sociais e assemelhados
F-7Construções provisóriasCircos e assemelhados
F-8Locais para refeiçõesRestaurantes, lanchonetes, bares, cafés, refeitórios,cantinas e outros
GServiços automotivosG-1Garagens sem acesso de público e sem abastecimentoGaragens automáticas
G-2Garagens com acesso de público e sem abastecimentoGaragens coletivas não-automáticas em geral, sem abastecimento (exceto para veículos de carga e coletivos)
G-3Locais dotados de abastecimento de combustívelPostos de abastecimento e serviço, garagens (exceto para veículos de carga e coletivos)
G-4Serviços de conservação, manutenção e reparosPostos de serviço sem abastecimento, oficinas de conserto de veículos (exceto de carga e coletivos), borracharia (sem recauchutagem)
G-5Serviços de manutenção em veículos de grande porte e retificadoras em geralOficinas e garagens de veículos de carga e coletivos, máquinas agrícolas e rodoviárias, retificadoras de motores
HServiços de saúde e institucionaisH-1Hospitais veterinários e assemelhadosHospitais, clínicas e consultórios veterinários e assemelhados (inclui-se alojamento com ou sem adestramento)
H-2Locais onde pessoas requerem cuidados especiais por limitações físicas ou mentaisAsilos, orfanatos, abrigos geriátricos, reformatórios sem celas e outros
H-3Hospitais e assemelhadosHospitais, casas de saúde, prontos-socorros, clínicas com internação, ambulatórios e postos de atendimento de urgência, postos de saúde e puericultura e outros
H-4Prédios e instalações vinculados às forças armadas, polícias civil e militarQuartéis, centrais de polícia, delegacias distritais, postos policiais e outros
H-5Locais onde a liberdade das pessoas sofre restriçõesHospitais psiquiátricos, reformatórios, prisões em geral e instituições assemelhadas
IIndustrial, comercial de alto risco, atacadista e depósitosI-1Locais onde as atividades exercidas e os materiais utilizados e/ou depositados presentam médio potencial de incêndio. Locais onde a carga combustível não chega a 50 kg/m2 ou 1200 MJ/m2 e que não se enquadram em I-3Atividades que manipulam e/ou depositam os materiais classificados como de médio risco de incêndio, tais como fábricas em geral, onde os materiais utilizados não são combustíveis e os processos não envolvem a utilização intensiva de materiais combustíveis
I-2Locais onde as atividades exercidas e os materiais utilizados e/ou depositados Apresentam grande potencial de incêndio. Locais onde a carga combustível ultrapassa 50 kg/m2 ou 1200 MJ/m2 e que não se enquadram em I-3. Depósitos sem conteúdo específico.Atividades que manipulam e/ou depositam os materiais classificados como de grande risco de incêndio, tais como marcenarias, fábricas de caixas, de colchões, subestações, lavanderias a seco, estúdios de TV, impressoras, fábrica de doces, heliportos, oficinas de conserto de veículos e outros
I-3iLocais onde há alto risco de ncêndio pela existência de quantidade suficiente de materiais perigososFábricas e depósitos de explosivos, gases e líquidos inflamáveis, materiais oxidantes e outros definidos pelas normas brasileiras, tais como destilariais, refinarias, elevadores de grãos, tintas, borracha e outros
JDepósitos de baixo riscoDepóstio sem risco de incêndio expressivoEdificações que armazenam, exclusivamente, tijolos, pedras, areias, cimentos, metais e outros materiais incombustíveis

2) Calcule a população (P)

Calcule a população a partir da classificação do grupo de ocupação e a tabela abaixo:

GRUPODIVISÃOPOPULAÇÃO
AA-1, A-2Duas pessoas por Dormitório
A-3Duas pessoas por Dormitório e uma pessoa por 4 m² de área de alojamento
BUma pessoas por 15 m² de área
CUma pessoa por 3 m² de área
DUma pessoa por 7 m² de área
EE-1 a E-4Uma pessoas por 1,5 m² de área
E-5 e E-6Uma pessoas por 1,5 m² de área
FF-1Uma pessoa por 3 m² de área
F-2, F-5, F-8Uma pessoa por m² de área
F-3, F-6, F-7Duas pessoas por m² de área
F-4não coberto pela NBR-9077
GG-1, G-2, G-3Uma pessoa por 40 vagas de veículos
G-4, G-5Uma pessoa por 20 m²de área
HH-1Uma pessoa por 7 m² de área
H-2Duas pessoas por dormitório e uma pessoa por 4 m² de alojamento
H-3Uma pessoa e meia por leito + uma pessoa por 7 m² de área de ambulatório
H-4, H-5não coberto pela NBR-9077
IUma pessoa por 10 m² de área
JUma pessoa por 30 m² de área

Exemplo 1: em um sobrado residencial (classe A-1) com 3 dormitórios, a população será de 6 pessoas (P = 6).

Exemplo 2: em uma butique (classe C-1) localizada no primeiro andar e com área de 300 metros quadrados, a população será de 100 pessoas (P = 100).

3) Descubra a capacidade de passagem (C)

A capacidade de passagem depende do grupo de ocupação.

GRUPODIVISÃOCAPACIDADE DE PASSAGEM
A45
B45
C60
D60
EE-1 a E-460
E-5 e E-622
F75
G60
H-145
H-2 e H-322
H-4 e H-545
I60
J60

Exemplo 1: em um sobrado residencial, a capacidade de passagem da escada é 45 (C = 45).

Exemplo 2: em uma butique, a capacidade de passagem da escada é 60 (C = 60).

4) Calcule o número mínimo de escadas (N)

O número mínimo de escadas é dado pela fórmula:

Número mínimo de escadas (N) = População (P) / Capacidade de passagem (C)

Exemplo 1: no sobrado residencial, o número de escadas é 6/45 = 0,13. Arredondando, temos N = 1.

Exemplo 2: na butique, o número de escadas é 100/60 = 1,66. Arredondando, temos N = 2.

5) Descubra a largura mínima de cada escada (L)

GRUPO DE OCUPAÇÃOPOPULAÇÃO
< 50 PESSOAS> 50 PESSOAS
A, B, D, G, I e J90 centímetros
Pode ter degraus ingrauxidos
110 centímetros
C, E, F e H110 centímetros110 centímetros

Exemplo 1: no sobrado residencial, a escada terá largura de 90 cm (L = 90 cm).

Exemplo 2: na butique, as escadas terão largura de 110 cm cada (L = 110 cm).

Largura útil da escada

É permitida a existência de pequenas saliências nas paredes da escada. A saliência, que pode ser um pilar, um tubo ou outro tipo de instalação, não pode sair mais que 10 centímetros da parede e nem ter mais que 25 centímetros de comprimento. Nessa situação, será considerada como largura da escada a distância de parede a parede.

Largura útil da escada

Havendo saliências acima de 10 centímetros a partir da parede ou que tenham mais de 25 centímetros de comprimento, a largura da escada será medida a partir da saliência.

Largura útil da escada

NOTA: nos casos em que a norma permite largura de 90 centímetros, havendo saliências com mais de 10 cm de largura ou 25 cm de comprimento, a largura mínima da escada passa a ser, obrigatoriamente, de 110 centímetros.

Corrimão

O corrimão não é considerado na largura da escada, desde que não avance mais do que 10 centímetros.

Corrimão da escada

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email
Imprimir

Compartilhar

Artigos relacionados

Leia também

plugins premium WordPress