Instalação do dreno da manta asfáltica

Roberto Massaru Watanabe
Roberto Massaru Watanabe
Roberto é engenheiro civil formado pela USP e especialista em patologias das edificações.

Além da drenagem da água da chuva pelo ralo, é necessário lembrar que parte dessa água irá passar o revestimento do piso e precisará de uma drenagem também. Esse dreno deve ser posicionado de forma a permitir o escoamento da água acumulada sobre manta.

Drenagem da manta (dreno 2)

E se não houver drenagem da manta?

Caso esse dreno não seja instalado, a seguinte situação irá ocorrer:

Um dos problema decorrentes dessa situação é a lixiviação: a água empoçada começa a atacar o calcáreo do contrapiso, levando o carbonato para fora através das juntas do piso. Ao chegar na superfície, o carbonato precipita e gruda nas bordas das placas, formando uma crosta branca bem aderente e muito difícil de remover.

Além da questão estética, o processo de lixiviação dissolve o carbonato do contrapiso e da argamassa de assentamento das placas. Passado algum tempo, as placas do revestimento começam a se soltar.

Manchas brancas nas juntas do revestimento

Infiltrações difusas sob a manta

No corte esquemático acima, observa-se a presença de um terceiro dreno (dreno 3), posicionado abaixo da manta. Essa é uma medida de segurança adicional para caso uma infiltração difusa venha a ocorrer.

A infiltração difusa é aquela em que não se consegue localizar sua origem. Qualquer ponto da instalação da manta pode apresentar uma falha oculta, permitindo a passagem de água para debaixo da manta. O dreno 3 é responsável por escoar essa água infiltrada e minimizar problemas nos pavimentos inferiores.

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email
Imprimir

Compartilhar

Artigos relacionados

Leia também

plugins premium WordPress