Proteção térmica da manta asfáltica com isopor

Roberto Massaru Watanabe
Roberto Massaru Watanabe
Roberto é engenheiro civil formado pela USP e especialista em patologias das edificações.

Para maximizar a vida útil da manta, que gira em torno de 10 anos, é necessário realizar a proteção térmica. O calor acelera a perda dos componentes voláteis que conferem flexibilidade e elasticidade ao asfalto. Sem essa proteção, a manta não irá durar mais do que cinco anos.

Existem diversos sistemas para fazer a proteção térmica da manta asfáltica. O mais prático deles é a colocação de placas de isopor (EPS, expanded polystyrene ou poliestireno expandido). A fabricação do isopor é regulada pela norma brasileira NBR-11752 – Materiais celulares de poliestireno para isolamento térmico na construção civil e refrigeração industrial.

O isopor pode ser adquirido em placas grandes (1,00 x 1,00 ou 1,00 x 2,00 metros) e em diversas espessuras (10mm, 20mm, 50mm etc.)

Para a proteção térmica da manta asfáltica, utiliza-se a placa de 50 milímetros de espessura. Ela garante um bom isolamento térmico, que protege a manta asfáltica de forma satisfatória.

Veja um esquema de como as placas de isopor devem ser posicionadas sobre a manta:

No piso, aplicar um isopor de pelo menos 50 milímetros de espessura e, nas paredes, 20 milímetros. Essas dimensões são adequadas para a maior parte das aplicações (em casos específicos, deve-se fazer o cálculo de dimensionamento em função da latitude e do ângulo de incidência dos raios solares).

A borda da manta asfáltica que se dobra sobre a parede também precisa ser protegida do calor. No caso da foto abaixo, a manta que subia em torno de um pilar ressecou e se desfez após intensa exposição solar sem proteção térmica. Formou-se uma fresta a partir da manta degradada, que permitia a penetração de água para o espaço entre a manta e a laje.

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email
Imprimir

Compartilhar

Artigos relacionados

Leia também

plugins premium WordPress